LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Receita de ano novo


Por Carlos Drummond de Andrade


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)


Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.



Fonte: Jornal de Poesia

Foto: Astronauta Libertado

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Da série: Ideologias de exterma-direita # 2

As origens do Fascismo

A origem comum de grande parte dos fascistas pode ser encontrada nas trincheiras da I Guerra Mundial, na marcha sobre Roma, na expedição de D'Annunzio a Fiume, nas frustrações decorrentes da guerra e nos motins socialistas dos "dois anos vermelhos". Era uma mescla de nacionalismo e admiração por D'Annunzio, de anti-socialismo e de reação das classes médias baixas, de desilusão pós-guerra e de sindicalismo revolucionário, que o Risorgimento de Mazzini e Gioberti e a liderança do grupo fundador do movimento fizeram ecoar nas páginas do Popolo d'Italia.

Não sem antes ter deparado com alguns obstáculos pelo caminho, Mussolini encontrou a melhor maneira de encaminhar esta heterogénea massa de homens até ao poder, tendo conseguido, em menos de três anos, transformar um pequeno movimento, nascido na Praça do Santo Sepulcro em Milão em 23 de Março de 1919, num partido cheio de vontade de liderar a Itália. Foi uma experiência tão revolucionária que acabou por influenciar muita gente e outros movimentos políticos em todo o mundo.

Post anterior: # 1 - O aparecimento das ideologias de extrema-direita na Europa

Próximo post: # 3 - O Fascismo e o Estado italiano

Outros posts:

# 4 - Benito Mussolini

# 5 - A filosofia de Mussolini

# 6 - Racismo

# 7 - As bases filosóficas do Fascismo

# 8 - As condições da emergência do Fascismo

# 9 - As condições econômicas e sociais que estimularam o Fascismo

# 10 - O Nazismo

FONTE: COM TEXTO LIVRE

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

É-ME IMPOSSÍVEL AMAR A UMA MULHER APENAS


É-me impossível amar a uma mulher apenas.


Por acaso amas a um único dos teus filhos

Ou dos teus amigos?


Amas apenas o teu pai em detrimento de tua mãe?


Amas a tua mão esquerda e desprezas a direita?


E dos poemas de Manuel Bandeira, Mario Quintana e Alberto da Cunha Melo, amas apenas a um ou a vários?


É-me impossível amar apenas a uma mulher.


segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

FASCÍNIO


Casado, continuo a achar as mulheres irresistíveis.
Não deveria, dizem.
Me esforço. Aliás,
já nem me esforço.
Abertamente me ponho a admirá-las.
Não estou traindo ninguém, advirto.
Como pode o amor trair o amor?
Amar o amor num outro amor
é um ritual que, amante, me permito.


(Affonso Romano de Sant’Anna)