LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

O HOMEM QUE NÃO VIROU SUCO

Amigos, dias atrás estava assistindo ao canal NBR que faz a cobertura das atividades do poder executivo, inclusive transmitindo na íntegra os discursos do nosso presidente aqui e além mar, quando lendo aqueles caracteres que ficam passando no rodapé da tela vi a seguinte notícia: A agenda do presidente hoje encerra-se ao receber no palácio à noite vários líderes das centrais sindicais.

Abri um sorriso, esqueci-me da matéria que passava na hora, e pensei como os tempos mudaram. Puxei pela memória e lembrei-me de um filme que vi no final da década de oitenta, O homem que virou suco.

Extraordinário filme, ganhador de melhor filme do festival de Moscou 1981, com José Dumont no papel de um nordestino migrante que ao chegar para trabalhar nas grandes cidades do sudeste passa por um processo de aculturação, de desconstrução, de negação mesmo dos seus valores tradicionais, sendo confundido com um operário que ao receber o prêmio de operário padrão esfaqueia seu patrão na frente de todas as autoridades, inclusive do ministro do trabalho.

Era isso amigos o máximo a que um trabalhador podia almejar pouco tempo atrás, um aperto de mão e uma medalha estampada no peito. E hoje o presidente encerra suas atividades recebendo líderes sindicais no Palácio para juntos discutirem o aumento dos aposentados.

Quanta mudança! Falando em mudança, li hoje no jornal matéria com embaixador Rubens Ricúpero, aquele do escândalo da parabólica, da célebre frase “Eu não tenho escrúpulos: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”. Pois bem, esse senhor mostrou-se indignado porque o governo Lula teve a ousadia de mudar as diretrizes da nossa política externa que vem desde o governo Sarney, só para falar do período democrático.

Política esta, diga-se de passagem, basilar para o período de crescimento que passa nosso país, enterrou a ALCA e criou a já famosa política sul-sul que tantos benefícios nos têm trazido. Portanto, mudança sim! Caso o povo brasileiro quisesse a continuidade não teria votado no nosso bom “sapo barbudo”. Chega de príncipes!

Aliás, vi outro comentário do qual não concordo que Lula está governando bem porque despojou-se de seu macacão de líder sindical. Ledo engano. O sindicato só passou a ser maior, em vez de só contemplar os metalúrgicos do ABC paulista, agora abarca o país todo. Lula, um brasileiro. Lula, o homem que não virou suco.

Aquele Abraço!

JJ

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

DRINQUE

Tenho ao alcance da minha,
a tua solidão.

Por que não te procuro?

Por que vago na noite sem ti?

Na mão, uma cuba libre,
na vitrola, Elis,
na estante, A Ilha.

No meu país vagam
o mesmo medo, a mesma dor,
a mesma mágoa.

O fim é de um romance barato,
de um poema arcaico,
morrer, morrer de amor.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

FOI BLECAUTE


Amigos, há dias deparamo-nos em noticiários televisivos e porque não dizer na mídia em geral com a seguinte dúvida: Foi apagão ou blecaute? Devo dizer que desde a primeira vista inclinei-me pelo blecaute.


Lendo em 08.11.09 o matutino Jornal do Commercio, de víes verdadeiramente DEMOcrata, deparei-me com a seguinte manchete: Mais uma bandeira para Dilma.


A matéria em questão tinha como foco central o fato que o executivo está organizando uma consolidação das leis sociais, ou seja, enviará em 2010 ao congresso nacional uma lei que garantirá a continuidade de todos os programas sociais criados no governo Lula, desde o bolsa-família, passando pelos programas específicos para mulheres e negros, enfim, todos que levaram a alguma inclusão social e ganho quanto à cidadania.


Após essa leitura concluí que estava certo quanto ao blecaute. Blecaute, Otávio Henrique de Oliveira, foi um grande sambista dos carnavais das décadas de 40,50 e 60, falecido em 1983.


Portanto, quando o governo lança um projeto de tal magnitude, dar aos excluídos, aos necessitados, aos marginalizados a certeza de não depender do bom ou pior do mau humor dos futuros governantes ao criar uma lei essencialmente não casuística, digo FOI BLECAUTE.


Blecaute talvez causado pela chegada de Iansã, Senhora da Tarde, Dona dos Espíritos, Senhora dos Raios e das Tempestades, e Xangô, Divindade do fogo, do trovão e da justiça, Rei de Oyó, que vieram ver de perto quem é esse rei terreno que tanto bem traz para os seus filhos há muito perseguidos.


Portanto, de agora em diante, ao ouvirem a pergunta, apagão ou blecaute, respondam de pronto, FOI BLECAUTE.


Aquele Abraço!


JJ


Foto: Década de 50

sábado, 14 de novembro de 2009

COITO

Minha língua esmaga tua língua,

falam de amor,

falam de sede.

E nos entendemos,

e nos esmagamos.


Teus seios são dois pudins,

tenho fome

e os como.


Tu também tens fome

e me comes.


Minhas mãos te exploram

e tu entendes,

e te contorces,

e me exploras,

e me contorço.


Meu nariz te cheira

e fico tonto.


Tu me cheiras e gemes,

e te abres,

e me esperas.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Nada como um governo após o outro


Duas leituras, e um comentário, indispensáveis:


No Blog do Cappacete:

Pesquisa revela insatisfação mundial com o capitalismo

No Sandrodavidovitch:


Pesquisa mostra insatisfação dos brasileiros com capitalismo


E o comentário:


NADA COMO UM GOVERNO APÓS O OUTRO
Amigos, vejam como é importante experimentar mais de um tipo de governo. essa pesquisa reflete o porquÊ DO TEMOR DAS ELITES EM UM GOVERNO CONTINUADO MAIS À ESQUERDA. A MENTALIDADE DO POVO AO PASSAR POR NOVAS FORMAS DE GOVERNAR SABE DISCERNIR QUAL DELAS LHE É MAIS BENÉFICA. POR CONSEGUINTE, ENTENDE-SE PORQUE ZÉ PEDÁGIO PERMANECE EM CIMA DO MURO SOBRE SUA CANDIDATURA. COM A APROVAÇÃO DE MAIS DE OITENTA POR CENTO, COM ESSA PESQUISA VERFICA-SE TAMBÉM QUE ESTA APROVAÇÃO NÃO SE BASEIA TÃO SOMENTE NO CARISMA DO PRESIDENTE, MAIS CADA VEZ MAIS NECESSARIAMENTE NO RESULTADO DO SEU GOVERNO EM PROL DA SOCIEDADE COMO UM TODO. CLARO QUE UMA PESQUISA COMO ESSA JAMAIS SERÁ DIVULDADA NO JORNAL NACIONAL, NÃO SERÁ TAMPOUCO OBJETO DE ANÁLISE NAS COLUNAS DE MIRIAM LEITÃO OU DE ARNALDO JABOUR. PORÉM, SERÁ DETERMINANTE NA ESCOLHA DOS NOSSOS PRÓXIMOS GOVERNANTES, EM ESPECIAL DO PRÓXIMO PRESIDENTE.
AQUELE ABRAÇO!
JJ

CORAÇÕES E CORPOS


Abre teu corpo

ao meu coração,

já que não te posso

ter o coração.


Dá-me tua boca,

os teus seios,

tuas nádegas,

tua barriga, teus pés, tuas mãos

e teus pêlos.


Abre teu coração

ao meu corpo,

já que não podemos

ser um só.



(Do livro “Se não canto, pelo menos grito”, de 1983).