LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

O bordel Bovespa, o cafetão especulador e o porteiro CVM

bovespa

Por LEN, via Ponto & Contraponto
Nessa semana ficamos sabendo que o mega especulador internacional George Soros dobrou sua carteira de ações da Petrobrás no período onde seu valor mais desidratou.
Não é novidade esse tipo de operação, pois em janeiro desse ano o Bank of America Merrill Lynch adquiriu milhões de ações da empresa brasileira, logo depois de recomendar negativamente os papeis.
Nem Soros nem o Merrill Lynch jogam para perder e, nem são amadores para arriscar milhões de dólares em uma empresa que tem como destino a falência.
Quando acabar o ataque especulativo e os papeis da empresa recuperarem o valor de mercado, podendo até deslanchar com o avanço na exploração do pré-sal, vão lucrar muito com o investimento realizado, pois compraram em baixa.
Para comprar em baixa eles contaram com a colaboração dos ataques especulativos incessantes da imprensa brasileira e de “consultores” que recomendaram a pequenos investidores a imprudência de vender papeis em baixa.
A maioria desses pequenos investidores não estão no mercado de ações para conseguir lucro fácil e rápido, mas para investir enquanto ativos para garantir uma aposentadoria confortável.
Muitos investiram seus FGTS nas ações e aconselhados por gente mal intencionada, venderam em baixa assumindo perdas que não teriam caso aconselhadas a agir com prudência de esperar a maré agitada passar, já que não precisariam dos recursos imediatamente.
Essa operação casada em que uns batem para cair para outros comprarem barato deveria ao menos levantar suspeitas no órgão que deveria regular o setor: o CVM.
lei 6385/76, que cria o CVM e dá a este o poder de disciplinar e fiscalizar o mercado de ações, possui dispositivos acrescidos pela lei 10.303/2001, que identificam e indicam punições a crimes contra o mercado de capitais, incluindo o artigo 27-C descrito abaixo:
“Manipulação do Mercado
Art. 27-C. Realizar operações simuladas ou executar outras manobras fraudulentas, com a finalidade de alterar artificialmente o regular funcionamento dos mercados de valores mobiliários em bolsa de valores, de mercadorias e de futuros, no mercado de balcão ou no mercado de balcão organizado, com o fim de obter vantagem indevida ou lucro, para si ou para outrem, ou causar dano a terceiros:
Pena – reclusão, de 1 (um) a 8 (oito) anos, e multa de até 3 (três) vezes o montante da vantagem ilícita obtida em decorrência do crime.”
Você conhece alguma investigação iniciada no CVM para os crimes cometidos na BOVESPA e tipificados nas leis 6.583/76 e 10.303/2001, que está causando prejuízo milionário a pequenos investidores brasileiros? Pois é, nem eu.
O leitor pode alegar que quem se deixa enganar dessa forma merece perder dinheiro. O mercado é uma selva onde os mais fortes absorvem os mais fracos, diria o liberal xiita. Em todo o caso, não importa quem são as vítimas, já que estão sendo cometidos crimes previsto na legislação brasileira, que provavelmente ficarão sem punição pela péssima cultura existente em nosso judiciário e órgãos fiscalizadores de se proteger os poderosos.
Postar um comentário