LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Blogueiro na Arábia Saudita é condenado a mil chibatadas e dez anos de prisão

Raif Badawi


Secretário-geral da ONU disse apoiar a declaração do Alto Comissariado de Direitos Humanos contra a severidade de sentenças impostas a defensores de direitos humanos no país árabe por "expressarem sua opinião de maneira pacífica."

As Nações Unidas afirmaram que estão "profundamente preocupadas" com uma sentença de mil chibatadas em público e a 10 anos de prisão contra um escritor de um blog na Arábia Saudita.

O vice-porta-voz de Ban Ki-moon informou que o Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos está profundamente preocupado com a sentença dada ao blogueiro.

Ataques

Farhan Haq contou ainda que há relatos de que a sentença já estaria sendo executada a partir desta sexta-feira na Arábia Saudita.

De acordo com agências de notícias, o blogueiro Raif Badawi foi condenado por "insulto ao Islã" e "ataques cibernéticos". Há relatos de que ele receberá 50 chibatadas por semana até completar as mil.

Badawi é o co-fundador de uma página, que foi proibida, chamada "Rede Saudita Liberal". Segundo o Alto Comissariado, ele foi preso, julgado e condenado por se manifestar pacificamente a favor da liberdade de crença e expressão.

Mesquita

Além dos 10 anos na prisão e das mil chibatadas, o blogueiro também terá que pagar uma multa equivalente a US$ 266 milmais de R$ 710 000.

O início da punição por chibatadas foi feito em frente a uma mesquita na cidade de Jedá, no Mar Vermelho, e após as rezas muçulmanas de sexta-feira.

O vice-porta-voz do secretário-geral lembrou, em Nova York, que a Arábia Saudita ratificou a Convenção contra a Tortura. Ele destacou que a Comissão contra a Tortura, na última revisão sobre a Arábia Saudita, em 2002, expressou sua preocupação com as punições do país que não estão de acordo com a Convenção como punição corporal e chibatadas.

Haq disse ainda que o Escritório de Direitos Humanos da ONU já demonstrou preocupação no passado com outras sentenças severas impostas pelas autoridades sauditas contra defensores de direitos humanos que expressam suas opiniões de forma pacífica.

Mônica Villela Grayley
No Rádio ONU Nova York
Postar um comentário