LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Deixaram. E os idiotas fazem a festa...


Por Carlos Motta, em seu blog

Os analfabetos políticos, idiotizados por uma mídia partidária que há anos não faz outra coisa a não ser tentar levar o Brasil de volta a um passado tenebroso, estão com tudo. 

Parte deles, principalmente, a palavra de ordem do momento, o mantra que julgam redentor e capaz de purgar os males do país virtual no qual vivem, cheio de mazelas, à beira do caos econômico e social, um horror...

Sem argumentos que sustentem a necessidade do tal "impitimam" que tanto desejam, a não ser vagas acusações paridas no ventre de uma imprensa corrupta, mentirosa e golpista, os idiotas distorcem e inventam fatos, caluniam os "inimigos", disseminam boatos criminosos, pregam o ódio e a violência, pisoteiam os mais básicos princípios da democracia - e da civilização.

O Brasil novo que almejam, depois de expulsar a pontapés, prender e arrebentar a presidenta reeleita com 54 milhões de votos, imputar ao ex-presidente Lula e ao seu partido os crimes mais hediondos do universo, é, porém, velho conhecido de muita gente: uma nação sem brios, sem futuro, completamente à mercê de interesses da maior potência mundial; uma nação dividida entre ricos e pobres, na qual a ínfima porção de endinheirados detém todo o poder - político, econômico, social, moral, ético - e a imensa maioria de desvalidos e remediados se engalfinha para ficar com as sobras do banquete.

É certo que o governo federal tem grande parcela de culpa pela proliferação desses analfabetos políticos.

Não soube, ou não quis, se engajar na batalha da comunicação. 

Ao contrário, financiou generosamente seus detratores - ou seja, colocou a corda no próprio pescoço.

Talvez algum dia os motivos de tal comportamento esquizofrênico sejam revelados - é impossível que tantas pessoas que passam o dia todo refletindo e estudando o momento político do país não tenham sequer imaginado que é impossível a um governo, seja ele qual for, ignorar a importância de se comunicar com a sociedade, de transmitir a elas as informações que julga relevante.

Não dá para acreditar que essas pessoas tenham sido tão ingênuas a ponto de terceirizar, para empresas inimigas do trabalhismo e propagadoras entusiasmadas do capitalismo mais selvagem, a tarefa de levar uma informação honesta ao público.

Na sociedade atual, um ministro de informação vale por dez ministros da área econômica.

Afinal, de que adianta o país ter uma taxa de desemprego baixíssima, cumprir metas de inflação, oferecer crédito barato e fácil para casas, automóveis e educação, desenvolver um programa gigantesco de infraestrutura, manter o maior programa social do mundo, entre outras coisas mais, se essa informação não chega à massa - e quando chega é sempre distorcida negativamente?

Ainda dá tempo para o governo Dilma entrar com força na guerra da comunicação e calar os analfabetos políticos e os idiotas repetidores de calúnias e mentiras.

Mas isso depende de uma decisão política, já que os recursos para tal existem, assim como um farto material humano de excelente qualidade.

E, tudo leva a crer, nem a presidenta nem o seu partido tem o menor interesse em partir para o confronto. 

Pois eles devem ainda acreditar que o brasileiro é cordial.
Postar um comentário