LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

domingo, 15 de fevereiro de 2015

O atentado golpista descoberto na Venezuela pretendia assassinar Nicolás Maduro



Resumen Latinoamericano - fevereiro de 2015.- O Presidente denunciou o envolvimento e o financiamento dos EUA para que os golpistas atuassem nestes dias, quando se recordam as “guarimbas” violentas de 2014.

O Presidente informou que estão adiantadas as investigações para prender todas as pessoas envolvidas nas ações violentas contra a Venezuela.

Nesta quinta-feira, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que foi desmantelado um atentado golpista contra a nação sul-americana.

Durante a entrega de obras públicas em Caracas (capital venezuelana) o mandatário explicou à nação que se trata de uma tentativa violenta contra o Governo venezuelano.

“Tentaram utilizar um grupo de oficiais da aviação militar para provocar um fato violento, um ataque, um golpe de Estado”, disse.

Deu a conhecer que “o grupo de oficiais foi financiado por Miami (EUA) e tinha orquestrado gravar um vídeo nos dias 12 e 13 de fevereiro nos atos do Dia da Juventude, levantar um avião Tucano e atacar o Palácio de Miraflores ou o lugar onde eu participasse em uma destas manifestações”, disse.

“Quero dar os parabéns aos jovens oficiais, aos organismos de inteligência porque pudemos impedir a continuidade desta intentona golpista contra nosso país”, apontou.

Ao mesmo tempo, defendeu que “os grupos fascistas que promovem planos golpistas contra a Revolução Bolivariana serão derrotados pela consciência e a mobilização popular de nossa gente”, disse o mandatário.

Mais cedo, o presidente da Assembleia Nacional (AN) da Venezuela, Diosdado Cabello, informou que os corpos de segurança detiveram um indivíduo que pretendia executar um plano desestabilizador contra o Governo de Nicolás Maduro.

Cabello explicou que o cidadão identificado como Álvaro Jesús Carmona Rodríguez pretendia ativar seu plano assassino durante uma atividade na qual participaria o presidente venezuelano na cidade de Valencia, estado Carabobo (centro).

A um ano dos eventos violentos iniciados pela direita golpista contra o Governo do Presidente Maduro, os venezuelanos continuam apoiando o projeto de país projetado pelo Líder da Revolução Bolivariana, Hugo Chávez.

ASSIM SE DESENVOLVERIA O GOLPE DA ULTRADIREITA

Em transmissão para VTV, o Mandatário expôs que o plano consistia em armar um Avião Tucano e bombardear o Palácio de Miraflores ou os eventos públicos onde participasse.

A ordem para colocar em marcha o atentado – disse – era a publicação de um programa de governo, com seu próprio gabinete de transição, em um diário de circulação nacional.

Apontou que oficiais e civis que participaram da elaboração desta tentativa de golpe foram apreendidos entre a madrugada de quarta-eira e o transcurso desta quinta-feira. Além disso, se procedeu com a busca e captura dos outros autores intelectuais.

Entre os mecanismos prévios, se encontrava a gravação e difusão de uma mensagem que seria pronunciada pelo General Oswaldo Hernández, que se encontra detido no cárcere de La Pica, Maturín. No entanto, a intervenção dos corpos de inteligência permitiu o impedimento da operação.

“A esse general, deram a tarefa de contatar outros (…). Já declarou quem deu o dinheiro, quem traçou o mapa dos objetivos a serem bombardeados”, apontou o Chefe de Estado, enquanto assegurou que tinham traçado a destruição da Telesur, Ministério da Defesa, entre outros órgãos públicos.

Pediu ao presidente da Assembleia Nacional (AN), Diosdado Cabello, que desse os detalhes sobre a tentativa de ataque. “Estamos desmantelando o resto da tentativa de atentado golpista contra o povo e a democracia”, acrescentou.

Fonte: http://www.resumenlatinoamericano.org/2015/02/12/venezuela-el-atentado-golpista-descubierto-en-venezuela-pretendia-asesinar-a-nicolas-maduro/

Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)

Fonte: PCB
Postar um comentário