LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

domingo, 3 de maio de 2015

Dilma 8, Lula 80?



Por Fernando Castilho, em seu blog

Podemos em análise dar um desconto à fala contida de Dilma, afinal ela é a presidenta de todos os brasileiros e precisa ter bastante cuidado com o que diz, enquanto Lula não tem cargo nenhum e ainda pode falar da maneira que bem entender.

Neste 1° de maio, pela primeira vez um presidente discursou pelas redes sociais sem fazer uso da televisão.

Sobre o que eu esperava desta iniciativa já escrevi no texto Dilma no 1° de maio: na TV ou na Internet?

O discurso foi dividido em 3 curtas partes.

Como sempre, Dilma foi técnica, precisa e fria.

Esquentou um pouco, porém, ao criticar a terceirização e a redução da maioridade penal.

Nada além disso.

A emoção, que este blogueiro gostaria de ver estampada em seu rosto, em seu olhar, e decodificada em sua voz, que ela deve estar guardando para si, não veio...

Atingiu o trabalhador, o povo?

O panelaço não existiu, uma vez que o discurso ficou diluído, à medida que blogueiros e internautas iam compartilhando. Não existiu aquele momento certo.

A oposição apressou-se em dizer que Dilma não foi a TV por medo dos paneloides.

O deputado Carlos Sampaio (PSDB) gostaria muito de ver mais um motivo para impeachment, mas desta vez se conteve, afinal de contas, ele e o senador Aloysio Nunes (PSDB) andam dando farto material para o site Sensacionalista.

Mas a emoção que Dilma não demonstrou, Lula esbanjou em seu discurso.

No evento da CUT, Lula teve a coragem de criticar duramente as revistas Época e Veja.

"Vejo nas revistas brasileiras, que são um lixo, as insinuações. Eles querem pegar o Lula, mas me chama para a briga que eu gosto".

"Quero dizer aqui, na frente das crianças: pega 10 jornalistas da Veja, da Época, e enfia um dentro do outro que não dá nem 10% da minha honestidade".

Lula conclamou a população e os movimentos sociais a combaterem a direita conservadora.

Podemos em análise dar um desconto à Dilma, afinal ela é a presidenta de todos os brasileiros e precisa ter bastante cuidado com o que diz, enquanto Lula não tem cargo nenhum e ainda pode falar da maneira que bem entender.

Mas nem 8 nem 80.

Dilma poderia sim ter usado mais a emoção e tratado com mais ênfase os assuntos que afligem seu governo.

Nem uma palavra sobre o massacre dos professores no Paraná, apesar de ter alfinetado (de leve) Beto Richa: ''temos que nos acostumar às vozes das ruas, aos pleitos dos trabalhadores, reconhecer como legítimas as reivindicações de todos os segmentos sociais da população (…) sem violência e sem repressão''. ''Para isso, nada mehor que o diálogo franco e transparente entre governo e a sociedade''. 

A oportunidade era perfeita inclusive para cobrar da oposição uma postura sobre o fato. Poderia ter desancado Aécio. Não o fez.

Este, por sua vez, fez discurso junto ao Paulinho pelego da Força, no evento da Força Sindical. Deixou o Paraná passar batido.

As pessoas precisam ver a presidenta como a comandante do país. Nesse sentido, bater um pouco mais em Eduardo Cunha e na oposição só lhe faria bem.

Infelizmente não é a maneira de ser de Dilma.

Já deveria ter me acostumado a isso.

Mas para quem vem de um Lula, fica bem difícil...









Postar um comentário