LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quarta-feira, 27 de maio de 2015

O Congresso Nacional é apenas um retrato do Brasil

A Câmara, decidindo o futuro do Brasil: pobre de nós...
(Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

Por Carlos Motta, em seu blog

Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, dizem várias fontes, foi finalmente derrotado, ao ver os dois principais pontos da reforma política que colocou, de afogadilho, em votação ontem, terça-feira, 26 de maio, o chamado "Distritão" e o financiamento empresarial de campanha, serem rejeitados.

Menos mal que isso tenha ocorrido.

O fato, porém, é insuficiente para mudar a minha opinião sobre esse Congresso, formado pela fina flor do conservadorismo nativo, uma conjunção inimaginável de preconceituosos, analfabetos, reacionários e picaretas de todos os tipos e matizes.


Enganam-se os que acham que agora Cunha e seu bando vão entrar na linha, ou pelo menos diminuir a ânsia com que têm manipulado a pauta de votações ao seus interesses - que, obviamente, não são os da nação.

É bem provável que Cunha e seus amigos procurem agora dar o troco.

Já devem estar planejando alguma ação contra seus adversários.

Algo que os humilhe, que os castigue.

Eu, por mim, tomei a decisão de simplesmente acompanhar, da forma mais desapaixonada possível, o que se passa em nosso Congresso.

De certa forma, joguei a toalha.

Afinal, esses congressistas não representam o brasileiro médio?

Essa extraordinária conjunção de reaças não foi eleita democraticamente?

Portanto, quem pariu Mateus que o embale.

Se as pessoas querem um Brasil medieval, que façam bom uso dele.

Acho que nunca chegaremos ao tal Primeiro Mundo, à civilização.

Somos uma nação de ignorantes, analfabetos - em todos os sentidos -, completos idiotas que se deixam levar pela mais tosca propaganda e pela mais ridícula manipulação.

Não é à toa que esses bandidos que se dizem pastores, bispos ou missionários, estão milionários.

Não é à toa que têm uma das mais expressivas bancadas do Congresso.

Não é à toa que se permite que o Judiciário e esse monstro chamado Ministério Público zombem de todos nós, façam o que bem entendem, sem nunca serem incomodados, sequer criticados, por ninguém.

Não é à toa que a imprensa seja esse lixo que é, com as redações tomadas pelo mau-caratismo e pelo puxa-saquismo explícitos.

O Brasil que eu sonhei - fraterno, justo, rico, poderoso - não passa de uma utopia.

Por causa, fundamentalmente, do brasileiro, que salvo exceções, é um perfeito imbecil.
Postar um comentário