LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Prefeito de Nova York reconhece problemas da democracia nos EUA

Wilhelm de Blasioprefeito de Nova York



Os Estados Unidos têm um "problema de democracia", com o evidenciado declínio da participação nas eleições, reconheceu neste domingo o prefeito de Nova York, Bill de Blasio.

"Neste país temos um problema de democracia, a participação eleitoral diminuiu", disse de Blasio quando perguntado pela CBS a partir das reações negativas a propositura de Hillary Clinton como candidata presidencial do partido democrata.

A ex-secretária de Estado (2009-2013) denunciou nesta quinta-feira, em um discurso no Texas que os republicanos estão tentando impedir que milhares de pessoas votem, e exigiu leis para facilitar a participação nas eleições.

O partido Republicano, que recentemente acusou Clinton de dizer qualquer coisa, desde que a beneficie, as observações de Clinton foram interpretadas como uma tentativa de incentivar a fraude e o abuso eleitoral, relatou o jornal The Washington Post, na mesma quinta-feira.

Em sua entrevista no domingo, o prefeito de Nova York explicou estas interpretações dos republicanos como uma tentativa de desviar a atenção das deficiências do sistema político americano.

Wilhelm 'Bill' de Blasio também reiterou a mensagem de Clinton sobre "tentativas republicanas para conter o comparecimento às urnas": "Muitos responsáveis preferem (que tenha) um pequeno eleitorado", disse ele.

A este respeito, o político democrata defendeu a necessidade de "algumas reformas básicas", como simplificar os procedimentos de registro de eleitores.

De Blasio em 2000 foi diretor da campanha de Hillary Clinton quando ela disputava o senado por Nova York, cargo que ocupou até ser nomeada Secretária de Estado pelo atual presidente dos EUA, Barack Obama.

Com taxas de participação entre 50 e 60% do eleitorado para as eleições presidenciais e inferior a 40% para as eleições de representantes no Congresso, o número de eleitores tem sido descrito como "vergonha internacional" pelo senador Bernard Sanders.

De acordo com as últimas estatísticas publicadas pelo Instituto Rasmussen no início de maio, apenas 10% dos eleitores americanos ​​avaliam como "boa" ou "excelente" a performance do Congresso de seu país.

Quanto a Obama, de acordo com a última pesquisa do instituto Gallup, na última semana de maio, 47% dos americanos aprovam o seu governo.
Postar um comentário