LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Maria Fernanda Arruda: Relembrando a farra do PROER

Captura de Tela 2015-10-13 às 13.22.31


A farra do Proer
O inesquecível PROER: em 1995 o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deu uma amostra pública do seu compromisso com o capital financeiro e, na calada de uma madrugada de um sábado de novembro, assinou uma medida provisória instituindo o PROER, um programa de salvação dos bancos que injetou 1% do PIB no sistema financeiro – dinheiro que abandonou o sofrido Tesouro Nacional, para abastecer cofres privados, começando pelo Banco Nacional, então pertencente a família Magalhães Pinto, da qual um de seus filhos era agregado. Não é mesmo FHC?
O Proer demonstrou em 1996, como seriam as relações do governo FHC com o sistema financeiro. Para FHC, o custo do programa ao Tesouro Nacional foi de 1% do PIB. Para os ex-presidentes do BC, Gustavo Loyola e Gustavo Franco, atingiu 3% do PIB. Mas para economistas da Cepal, os gastos chegaram a 12,3% do PIB, ou R$ 111,3 bilhões, incluindo a recapitalização do Banco do Brasil, da CEF e o socorro aos bancos estaduais.
E agora, FHC, você vem aqui querendo falar o que…?
Leia também:
Postar um comentário