LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

PGR E STF OMISSOS: Eduardo Cunha tem que sair preso do Congresso Nacional

Miniatura


A aceitação do pedido de impeachment da presidente Dilma pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, nos leva a algumas reflexões. A primeira é de que, para serem coerentes, nossas instituições depois de prender empresários poderosos, banqueiro e senador têm que prender Eduardo Cunha. Aliás, a atitude de Cunha é fundamentalmente por retaliação!

Os motivos de impedimento da presidente, as pedaladas, caem por terra quando o Congresso Nacional aprova, em Comissão Mista, a meta fiscal do governo por 314 a 99. E o PT vai recorrer ao STF que já rejeitou anteriormente as regras para tramitação do pedido de impeachment de Dilma.

Cunha age monitorado pela oposição, principalmente de Aécio Neves, do PSDB, candidato derrotado por Dilma no voto, envolvido em vários escândalos e que já declarou apoio à decisão de Eduardo Cunha. Qual foi a promessa da oposição a Cunha para que ele tomasse essa atitude?

Dilma falou à sociedade com muita tranqüilidade apelando para os mecanismos democráticos para barrar esse golpe contra nossa Constituição Federal, que respaldou a eleição e posse da presidente.

Os partidos democráticos, as centrais sindicais, os movimentos sociais e o movimento estudantil todos estão aguardando uma resposta a essa tentativa espúria de um deputado envolvido comprovadamente em vários crimes e de uma oposição que quer chegar ao poder através de golpe, não tendo se conformado até agora pela derrota nas urnas. Este é um teste importante de nossa recente democracia! Com certeza, o Brasil é muito maior que Cunha e esses golpistas!    

Rio de Janeiro, 02 de dezembro de 2015          

Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP). 

OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.

Postar um comentário