LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Pacote do MPF retroage mais de mil anos



Lenio Streck: pacote retroage mais de mil anos

Advogado e professor, doutor em Direito e ex-procurador de Justiça

O pacote contra a corrupção que o Ministério Público Federal apresenta dá o que pensar. Por que deixaram de fora a legalização da tortura? Afinal, ela é eficiente. Os procuradores se empolgaram. Teologia juspunitiva. O "pacote" é tão cheio de inconstitucionalidades, que, muitas delas, o porteiro do Supremo Tribunal invalida. Até quando acertam propondo medidas contra o caixa 2, multa para bancos e recuperação de ativos produtos de crimes, acabam colocando parágrafos que violam direitos.

Mas meu papel, aqui, é de jurista e não de torcedor. Ninguém é a favor da corrupção, a não ser o corrupto, é claro. Um país não progride com impunidade. Mas também não progride com supressão de garantias. Ah, nos EUA é assim. Comparação falsa. Sistemas diferentes. Lá erros dão filme. Atire a primeira pedra quem, em Pindorama, não tenha sido vítima (ou não saiba) de algum erro judiciário. E na Alemanha? Não, não é assim.

O pacote propõe uma "eugenia cívica". O agente público deve se submeter a testes que apontem se é propenso a cometer crimes. Como? Já existe tal ciência? Mais: e se o "teste" for positivo, será meio idôneo de prova, ainda que o acusado a tenha produzido contra si mesmo? E será aplicado nos concursos de juiz e procurador? E na indicação de ministros? Não são agentes públicos?

O pacote retroage mais de mil anos ao restringir a possibilidade de pedido liminar em habeas corpus. Mais: o pensamento mágico — corrupção terá pena maior que homicídio. Código Penal reduzido a pó. O pacote também cria o "informante confidencial", que só vale para corrupção. E em homicídio, não?

Faltam páginas para elencar os erros. A maioria das medidas é inconstitucional. Assalto não é crime hediondo, mas a gorjeta para o guarda poderá ser. Se o pai paga dívida de filho servidor público endividado, pode ser processado porque é um terceiro enriquecendo ilicitamente o rebento. O que mais dizer? E olha que coloquei só 10% das ilicitudes propostas pelo MPF. E nem falei das provas ilícitas.

A família real de Pernambuco

Quem é o dono do jatinho?

Como dito aqui, estamos vivendo um momento de angústia em relação a oportunidades. Somos uma geração de muito estudo e pouco emprego. Eu, como estudante do 7º período de Engenharia Civil, estou apreensivo: me formo no final do ano que vem e não vejo uma luz no fim desse túnel bem longo do desemprego.
Mas todos estamos assim. Não importa se você é de exatas, humanas ou biológicas. Se cursa direito, engenharia ou farmácia. O futuro é incerto, a não ser que você seja da família Campos de Pernambuco.
João Campos, 22 anos, prestes a se formar em Engenharia Civil, será o novo chefe de Gabinete do estado de Pernambuco. Ele é filho do ex-governador pernambucano, ex-candidato à Presidência da República e agora finado (infelizmente, pois gostaríamos de obter respostas sobre todos os indícios de corrupção em seu governo) Eduardo Campos. Aliás, João irá ocupar a mesma função que o pai exerceu no segundo governo de Miguel Arraes, entre 1987 e 1990.
Maria Eduarda Campos, 23 anos, foi indicada como gerente no Instituto Pelópidas Silveira, da prefeitura do Recife. Também filha do suposto corrupto Eduardo Campos, que agora parece ter sido canonizado em Pernambuco.
Os dois ocuparão cargos de responsabilidade que deveriam ser destinados a pessoas com experiência. Infelizmente, esse apadrinhamento descarado é só mais um no Brasil. ACM Neto, Marco Antônio Cabral e Aécio Neves são prova disso (aliás, este último foi presenteado com um cargo público aos 17 anos).
Vivemos um momento tenso de debate. Como esquecer o uso da meritocracia como argumento para políticas sociais e raciais de inclusão? Nestes casos citados acima há algum mérito? O que fizeram João Campos, Maria Eduarda, ACM Neto, Marco Antônio Cabral e Aécio Neves para merecerem os cargos pelos quais foram nomeados?
Nada.
E o pior: João Campos disse a uma repórter que lutará pela igualdade de oportunidades. Sim, o oportunista que usa a influência da família fala de oportunidade enquanto recebe mais de sete mil reais por mês.
A crise, meus amigos, não é para todos.

Dez perguntas antes de atacar alguém nas redes sociais

O mestre

Por Leonardo Sakamoto, em seu blog
É rápido e indolor. Antes de postar uma crítica pesada sobre alguém ou um grupo nas redes sociais, faça este teste.
O que estou prestes a postar (responda sim ou não):
1) Incita a violência ou promove o ódio contra um indivíduo ou grupo?
2) É um ataque baseado em achismos e fundamenta-se em páginas anônimas das quais você nunca tinha ouvido falar ou fontes desconhecidas?
3) Ridiculariza o outro ou outra apenas pelo fato de pensarem diferente de você?
4) É desnecessário e nada acrescenta ao debate? Ok, todo mundo acha que o que posta é super importante. Então: a postagem não traz nada de novo e serve apenas para mostrar que você conhece o assunto?
5) É vazio e serve apenas para você se sentir aquecido e querido através de “likes'' dos seus amigos?
6) É regado por preconceitos de gênero, orientação sexual, cor de pele, origem social ou etnia?
7) Poderia ser dito de forma mais educada, sem xingamentos gratuitos, mesmo que outras pessoas estejam xingando gratuitamente no debate?
8) Você ficaria sem graça se, durante uma entrevista de emprego daqui a dez anos, o examinador te perguntasse sobre essa postagem, que vai ficar disponível no Google para sempre?
9) Se fosse você o alvo da postagem, sentiria-se injustiçado ou violentado?
10) Teria vergonha da repercussão de dizer isso para um auditório lotado com 500 pessoas desconhecidas ao vivo?
Se respondeu “sim'' a qualquer uma dessas questões, pare e reflita se vale a pena mesmo publicar isso. Isso não é autocensura, mas sabedoria. Usar conscientemente as ferramentas de comunicação em massa da internet é a diferença entre ser uma pessoa que contribui para um mundo melhor ou apenas um estorvo gerador de dor.

A “traição” da Presidenta Dilma e a falsa democracia

democracia representativa

Por Dom Orvandil, via CRP
Nossa conjuntura aqui no Brasil se precipita de modo catastrófico, mexendo no tabuleiro político nacional e ameaçando nossa paciência.
No dia 24 deste fevereiro, no Senado Federal, a Petrobras foi colocada no caminho da boca das poderosas multinacionais imperialistas, todas ligadas às guerras de rapina pelo mundo.
Quando os senadores debatiam acaloradamente o projeto desonesto e antipatriótico do senador José Serra, na eminência de perder a batalha, o governo da Presidenta Dilma abriu mão da preservação da manutenção do atual estado de extração e comercialização do pré-sal pela Petrobras e negociou com a direita para emendar seu projeto, com o objetivo de possibilitar que as multinacionais participem com forte percentual, fragilizando a soberania do Brasil, chamuscando o chamado historicamente de “o petróleo é nosso”.
Assim como foi aprovado o projeto, a Petrobras perde a sua prerrogativa de ser a única operadora do maior tesouro brasileiro, abrindo o controle para as maiores petroleiras do mundo, numa das ofensivas mais agressivas contra nosso patrimônio público.
Os Estados Unidos gastaram três trilhões de dólares para destruir o Iraque e matar o seu presidente visando roubar as jazidas de petróleo, enquanto aqui senadores do PSDB, do DEM, do PMDB e até do PT se propõem a entregar a Petrobras de graça. Sem nem nenhum tiro.
Com a participação do Governo Dilma na aprovação dessa medida a Petrobras perde a sua prerrogativa de ser a única operadora desse tesouro brasileiro.
Dolorosamente decepcionado com a mudança de orientação do governo o senador Lindbergh Farias se declarou traído, sentindo-se como marido que nada sabe sobre os programas sexuais de sua mulher.
Muitos petistas e lideranças dos movimentos sociais se manifestaram nas redes aborrecidos e desencantados com a Presidenta Dilma.
Reflexivos se posicionam contra o impeachment, entendendo-o como aplicação do golpe de direita, mas reivindicam que Dilma retome os compromissos originais que motivaram sua eleição.
O que o Senado definiu através de seus mais inconsequentes e irresponsáveis senadores não é definitivo. O projeto foi encaminhado para a Câmara e depois cairá sobre a mesa da Presidenta.
O campo nacionalista e popular se mobilizará contra essa indecência fustigada pela direita impatriótica e amante dos negócios com os bens mais caros do nosso povo.
A Nação é chamada a se levantar para barrar mais esse golpe contra nosso patrimônio. Os grupos dominantes e coloniais dispõem-se a abocanhar o filé mignon, que seriam destinados ao desenvolvimento com educação e saúde sociais.
Atitudes esmagadas e chorosas do dedicado Senador Lindbergh e de muitos inocentes da esquerda não são suficientes para enfrentar mais esse golpe.
É necessário recordar que outros Países lutaram bravamente com guerras, perdendo milhares de suas populações e lideranças, dispostas a não entregar suas riquezas à rapina imperialista e de seus lacaios da OTAN.
É óbvio, que desde a fundação da Petrobras pelo governo Getúlio, que as raposas do império se lambem, sedentas para abocanhar nosso petróleo. Muitos brasileiros já morreram em sua defesa.
Imediatamente à derrota no Senado a senadora Gleisi Hoffmann, do Paraná, subiu à tribuna para afirmar que a crítica à Dilma, acusando-a de traidora, não é justa. Gleisi explicou: “É presidenta num contexto político duro, de disputa intensa, frágil politicamente, que governa com uma composição de forças políticas que tem grandes contradições entre si”.
Portanto, o risco de privatização da Petrobras e da explosão de uma guerra civil, porque o povo não se calará com esse brutal assalto, é porque há indisfarçáveis contradições entre neoliberais e a inclusão social. Os primeiros não suportam a ideia da distribuição de riquezas provindas da maior estatal do mundo na área petrolífera. Por isso se digladiam no interior do próprio governo de coalizão, que cada vez mais se “descoaliza”, fazendo da democracia apenas um vocábulo formal.
De um polo levanta-se a energia nacionalista e da soberania nacional a favor da prioridade das riquezas do subsolo para o desenvolvimento com justiça social. Do outro, monstruosidades diabólicas e infernais de direita, dilapidadoras dos nossos tesouros, que focam interesses nos negócios e nos lucros, tão somente. O povo que se lasque!
Os capetas do senado e da câmara brotam de eleições falsas, sujas e irrigadas com muitos trilhões de reais.
Aquela gente não se move por interesses nacionais, patrióticos e sociais. Não, eles só buscam no parlamento interesses pessoais e fisiológicos.
São provocadores que fazem o discurso moralista e fingido contra a corrupção, mas suas vidas são rastro do que é de mais iníquo, traidor, entreguista e, contraditoriamente, corrupto.
33 deles votaram a favor do projeto entreguista e traidor de José Serra, entre eles o próprio. Que esperar deste senador que empregou no seu gabinete, pagando-a com dinheiro público, a irmã suja de Mirian Dutra, ex-amante oportunista de Fernando Henrique Cardoso, sem que a dondoca fascista nunca aparecesse para trabalhar?
E assim é a história vergonhosa de senadores pilhadores frutos de eleições tingidas com votos dos ricos e opressores. (Aqui se pode ler a lista dos inimigos do Brasil, que devem ser varridos da vida política e pública brasileiras).
Com a aprovação deste projeto insano 360 bilhões de reais serão retirados da educação e entregues às multinacionais. Em projeção para os próximos 15 anos, as metas do Plano Nacional de Educação seriam impedidas. Mudar a regra do jogo é tirar esses recursos; é abortar as metas e isso significa não colocar todas as crianças na escola, não ter professor em todas as salas e não ter estrutura mínima nas escolas.
Ao nos levantarmos para barrar a indecência desses 33 assassinos e ladrões nos educaremos para mudar o Brasil.
Esse Brasil que está nas mãos dessa gente que o odeia não serve ao nosso povo e ao nosso futuro!

Assessor espera ação da Lava Jato contra Lula e família na semana que vem

Captura de Tela 2016-02-26 às 18.34.59
Coincidentemente, os irmãos Marinho partem para a ofensiva contra a blogosfera

Por Conceição Lemes, no Viomundo
Nesta sexta-feira, 26/02, o blogueiro Eduardo Guimarães denunciou:
Ele conta que uma fonte procurou o Blog da Cidadania, afirmando, que na próxima segunda, 29 fevereiro, ou na  terça-feira, 1 de março,  o juiz Sérgio Moro deflagará  a 24ª fase da Operação Lava Jato. Nela, seriam quebrados os sigilos fiscal, bancário e telefônico destas 43  pessoas, entidades e empresas:
LILS palestras, eventos e publicações (período 2011 a 2016)
Instituto Luiz Inácio Lula da Silva (período 2005 a 2016)
Luiz Inácio Lula da Silva (período 2003 a 2016)
Marisa Letícia Lula da Silva (período 2003 a 2016)
Fábio Luiz Lula da Silva (2004 a 2016)
G4 entretenimento e tecnologia digital (2004 a 2016)
BR4 participações ltda (2004 a 2016)
Game Corp (2004 a 2016)
LLF participações (período de 2004 a 2016)
FFK participações ltda (2004 a 2016)
Sandro Luiz Lula da Silva (2007 a 2016)
Flex BR tecnologia ltda (2007 a 2016)
Luiz Claudio Lula da Silva (2011 a 2016)
Marcos Claudio Lula da Silva (2007 a 2016)
Fernando Bittar (2004 a 2016)
TV Araras ltda (2004 a 2016)
Costinha assessoria empresarial ltda (2004 a 2016)
M7 produções e comércio de equipamentos ltda (2004 a 2016)
Jonas Leite Suassuna Filho (2004 a 2016)
Editora Go ltda (2004 a 2016)
Imobiliária Zarpar ltda (2004 a 2016)
Go Games ltda (2004 a 2016)
Zapt comércio e serviços ltda (2004 a 2016)
Go [incompreensível] disco ltda (2004 a 2016)
Banco Banca consultoria e projetos ltda (2004 a 2016)
Go mídia participações ltda (2004 a 2016)
Go Mobile produtos e serviços de tecnologia da informação (2004 a 2016)
Go Clean projetos ambientais e energéticos ltda (2004 a 2016)
Imobiliária Go ltda (2004 a 2016)
PJA empreendimentos ltda (2004 a 2016)
Nipo Sistema representação e lançamento (2004 a 2016)
Paulo Tarcísio Okamoto (2004 a 2016)
Oca 2 consultoria e gestão empresarial (2004 a 2016)
Guadelupe comércio de roupas e assessórios ltda (2004 a 2016)
José Filipi Junior (2006 a 2016)
Instituto Diadema de Estudos Municipais (2006 a 2016)
AFC3 engenharia ltda (2006 a 2016)
Adriano Fernandes dos Anjos (2010 a 2011)
Ignes dos Santos Irrigarai Neto (2010 a 2011)
Fernandes dos Anjos e Porto Montagens de estruturas metálicas ltda (2010 a 2011)
Elcio Pereira Vieira (2010 a 2016)
Edvaldo Pereira Vieira (2010 a 2016)
Sobre os dois últimos nomes, Eduardo explica:
(…) vale explicar que Elcio é o caseiro do sítio de Atibaia do qual acusam Lula de ser dono e Edvaldo é o irmão dele, que nada tem que ver com o assunto.
Segundo o instituto Lula, ambos foram procurados há poucos dias por quatro procuradores do Ministério Público. Os procuradores não tinham mandato, mas, assim mesmo, interrogaram os dois trabalhadores, que se sentiram ameaçados.
Viomundo consultou uma pessoa próxima de Lula a respeito da lista dos 43 pessoas, instituições e empresas que teriam seu sigilos quebrados por Moro na 24ª fase da Operação.
Acho que a operação e a lista procedem. Chamam a atenção os dois últimos nomes, que são do caseiro e do irmão dele, que foram intimidados e ouvidos na marra por procuradores do MP, sem a presença de advogados.
É praticamente impossível montar uma lista com tanta riqueza de detalhes, se a pessoa não tivesse tido em mãos o documento original.  
Moro faz um cerco a tudo o que diz respeito ao ex-presidente e familiares: Instituto Lula e a empresa que ele criou para palestras, dona Marisa, filhos e respectivas empresas e dos seus sócios. Também empresas que Paulo Okamoto, atual presidente de Instituto Lula, teve lá atrás. Ainda o sigilo de José Felippi Júnior, tesoureiro da campanha de Lula em 2006 e da presidenta Dilma Rousseff.
A  24ª fase da Lava Jato é uma tentativa de o juiz  Moro abafar, ou, pelo menos, desviar o foco de duas denúncias, que estão desgastando seus aliados poderosos: o affair FHC-Mirian Dutra-Brasif-Globo; e a Paraty House, dos irmãos MarinhoJá está mais do que demonstrado que Moro age politicamente a favor da direita brasileira, entre os quais os tucanos, contra o PT, o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma.
Ao mesmo tempo, coincidentemente, a Globo (seria uma operação casada?) tenta calar blogueiros devido a matérias sobre esses dois escândalos.
Diário do Centro do Mundo, O Cafezinho, Rede Brasil Atual e Tijolaço foram os primeiros. Os responsáveis pelos blogs receberam notificações extrajudiciais pedindo a remoção de conteúdo.
Apesar disso, a Globo e alguns de seus jornalistas dizem defender a liberdade de imprensa e de expressão. Piada pronta. Hipocrisia absoluta. Seletivos, tal qual a Lava Jato.
É como se as liberdades de imprensa e de expressão só valessem para a Globo e parceiros. Às favas, quando eles são o alvo de denúncias.
PS1 do Viomundo: A defesa do ex-presidente Lula entrou com ação junto ao Supremo Tribunal Federal pedindo que esclareça quem deve investigá-lo: o promotor paulista Cássio Conserino, que vaza para a revista Veja, ou a Força Tarefa da Lava Jato, que vaza para o Estadão e tenta puxar Lula para dentro do escândalo da Petrobrás. Enquanto não houver tal esclarecimento, a defesa pede que as ações paralelas sejam trancadas.
*******************
Confira prova de que Lava Jato e mídia formam uma polícia política
No post anterior, o Blog antecipou que divulgaria provas de que um conclave ilegal foi formado por órgãos de controle do Estado e por entes privados com a finalidade exclusiva de caçar petistas – e só petistas – em um processo golpista e literalmente ditatorial.
A partir daqui, o leitor receberá prova inquestionável de que a Operação Lava Jato (entenda-se, o juiz Sergio Moro, o Ministério Público e a Polícia Federal) atuam em simultaneidade com grupos privados de comunicação para desmoralizarem o Partido dos Trabalhadores, o governo Dilma Rousseff e, acima de todos esses, o ex-presidente Lula.
Sem mais delongas, portanto, vamos aos fatos.
Na última terça-feira (23), uma fonte procurou o Blog afirmando que na próxima segunda (29) ou na próxima terça-feira (01/03) será deflagrada a 24a fase da Operação Lava Jato. Nessa fase, serão quebrados os sigilos fiscal e bancário de 43 pessoas e entidades.
Supostamente, essa operação deveria ser sigilosa. As investigações da Lava Jato correm em segredo de Justiça. Nenhum ente privado deveria ter acesso aos próximos passos da operação. Essa é a teoria. Porém, a prática é outra.
A fonte desta página provou ter informações privilegiadas de que na nova fase da Lava Jato serão quebrados os sigilos de Lula, de Marisa, de todos os filhos deles, de suas empresas, do Instituto Lula, da empresa de palestras de Lula, de Fernando Bittar etc.
O mais estarrecedor, porém, foi a informação de que todos os veículos de uma dita “imprensa simpatizante” (como são conhecidos na Lava Jato os veículos que cumprem determinações dos investigadores no sentido de fustigar petistas) já dispunham de cópia da decisão de Moro quebrando o sigilo das 43 pessoas e entidades que o leitor irá conhecer em seguida.
Pedi à fonte que me enviasse a cópia. Travou-se, então, o seguinte diálogo:
[23/2 23:08] ‪+55 41 : É isso. Pode fazer chegar as suas fontes no instituto?
[23/2 23:09] Eduardo Guimarães: Me manda a decisão.
[23/2 23:09] ‪+55 41 : Não posso, coloco em risco a fonte.
[23/2 23:10] Eduardo Guimarães: Se tantos jornalistas têm não há por que
[23/2 23:10] ‪+55 41 : Posso ditar a decisão, se quiser.
[23/2 23:10] Eduardo Guimarães: Copia a parte do texto sem timbre
[23/2 23:11] ‪+55 41 : Colocaram códigos em cada cópia para rastrear quem vazar
[23/2 23:11] ‪+55 41 : Se eu puder falar ao fone eu leio a decisão pra vc. É uma lauda.
[23/2 23:12] ‪+55 41 : Posso ler aqui no zap. gravar
[23/2 23:12] Eduardo Guimarães: Pode gravar um áudio? Isso
[24/2 23:12] ‪+55 41 : O que acha?
[23/2 23:12] ‪+55 41 : Sim.
[24/2 23:12] Eduardo Guimarães: Isso. Grava
[23/2 23:13] Eduardo Guimarães: Se tiver número de processo. Dá todas as informações possíveis
[23/2 23:14] ‪+55 41 : Vou pra rua gravar. Na rua não tenho web. Então vc vai receber em mais ou menos meia hora. Ok?
[23/2 23:15] Eduardo Guimarães: Ok
Enviado pelo UOL Mail Android
Como se vê, são informações sigilosas que agentes do Estado estão repassando a entes privados (grupos de mídia) de forma absolutamente ilegal e com a finalidade de montar um esquema publicitário para atingir investigados à margem da lei.
O que dirá o STF, por exemplo, sobre esses métodos do juiz Sergio Moro?

Chegamos, portanto, ao ponto de comprovar o que está sendo dito acima. A partir daqui o leitor poderá ler a degravação do áudio enviado pela fonte com todos os dados da decisão do juiz Moro, inclusive com o número da decisão.

DEGRAVAÇÃO
— Essas pessoas e entidades deverão ser alvo da fase 24 da Lava Jato, que deve ser detonada na próxima segunda ou terça
–Continuando. Encerrado aqui. Expediu ofício, etc., etc. A quebra de sigilo inclui todos os dados sobre as contas e transações inclusive a origem do crédito e destino do débito. Outras informações, aqui, orientação ao MP pra implementar a quebra, Receita, comunicação à autoridade policial… Datado de 23 de fevereiro de 2016. Sergio Fernando Moro…
— Decisão 5005896-77.2016.404.7000
— Datada de 23 de fevereiro de 2016
— Sessão judiciária do Paraná. 13a
— Vara Federal de Curitiba.
— Pedido de quebra de sigilo de dados bancários, fiscais e/ou telefônicos.
— Requerente: Ministério Público Federal
— Acusado: Luiz Inácio Lula da Silva e seguem-se mais ou menos 40 nomes. A partir daí o juiz [Moro] passa a detalhar o pedido. Vou agora ao deferimento, que é o que interessa.
— Defiro o requerido e decreto a quebra do sigilo bancário e fiscal de:
[segue a lista que reproduzimos acima]
***
Sobre os dois últimos nomes da relação, vale explicar que Elcio é o caseiro do sítio de Atibaia do qual acusam Lula de ser dono e Edvaldo é o irmão dele, que nada tem que ver com o assunto.
Segundo o instituto Lula, ambos foram procurados há poucos dias por quatro procuradores do Ministério Público. Os procuradores não tinham mandato, mas, assim mesmo, interrogaram os dois trabalhadores, que sentiram-se ameaçados.
A primeira grande pergunta que se faz, é a seguinte: quem, diabos, deu poder de polícia para Globos, Folhas, Vejas e Estadões para atuarem conjuntamente com o Ministério Público, a Polícia Federal e, acima de todos, com o juiz Moro?
A Globo, por exemplo, é alvo da Operação Zelotes e é acusada de sonegação de centenas e e centenas de milhões de reais em impostos. Como pode agir como polícia ao lado de Sergio Moro e sua trupe?
O número da decisão de Moro e a relação dos que terão os sigilos quebrados na 24a fase da Lava Jato, a ser desencadeada na semana que vem, comprova que dados sigilosos da Operação vêm sendo sistematicamente vazados para entes privados.
O esquema é tão sofisticado que os vazadores colocam códigos nas cópias que distribuem para saberem que veículo vazou antes da hora, se houver vazamento.
Surge, então, nova pergunta: qual é a finalidade de vazar uma decisão sigilosa da Justiça (com grande antecedência) para grupos privados de mídia? Seria para que fossem fustigando os alvos com matérias, deboches, acusações para que quando essa 24a fase da operação for desencadeada o público já esteja predisposto?
Eis o que o Blog chama de PPA, a Polícia Política Antipetista cujo único objetivo é acusar e prender petistas sem julgamento, sem condenação, em um show midiático com objetivos meramente políticos, dos quais o combate à corrupção passa longe, apesar da retórica.
PS do Viomundo: Isso explica as recentes especulações de que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (1), quer deixar o cargo. Depois de entregar o Lula, ele fica à salvo da sanha de Moro e da mídia. Isso também ajuda a explicar as especulações de que a presidente Dilma deixaria de comparecer à festa de aniversário do PT, no Rio, neste sábado.
Além das questões políticas, como a entrega do pré-sal em acordo com José Serra — que não foi comunicado previamente a senadores do PT — e a reforma da Previdência, que ela pretende implantar contra a base política do partido, há o avanço da própria Lava Jato.
Dilma talvez calcule como saída um governo de união nacional, suprapartidário, em que ela se afaste oficialmente do partido que a elegeu.
Por outro lado, o fato de que a Odebrecht financiou, ainda que parcialmente, a campanha de Hugo Chávez na Venezuela, dá gás à teoria segundo a qual a informação originária da Lava Jato veio de autoridades dos Estados Unidos.
A National Security Agency ouviu o telefone da presidente Dilma Rousseff, isso é fato. O que a NSA ouviu? Quem mais ela ouviu? O interesse de Washington é múltiplo: detonar a Petrobras, as empreiteiras brasileiras que disputam concorrências internacionais e a política externa independente sustentada no eixo Brasília-Caracas. Mais importante: assumir, através de intermediários, o controle da maior reserva de petróleo do mundo — na faixa do Orinoco, na Venezuela — e da maior descoberta recente, bem próxima de casa: o pré-sal brasileiro.
Leia também:
*****
Nota Claudicante:
(1) Então, com a cumplicidade de Dilma.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Paulo Câmara dá nota próximo a zero ao Governo Dilma. E sua avaliação, Paulo?



Por José Luiz Gomes, em seu blog

O governador Paulo Câmara esteve no dia de hoje, 28 de fevereiro, no Sertão de Serra Talhada, inaugurando obras, acompanhado de aliados e correligionários. Descerrou placas, fez discursos e concedeu uma entrevista a uma rádio local, num programa denominado de Bate Pronto. Neste programa, como o próprio nome sugere, foi solicitado do governador que desse uma nota a determinadas personalidades do mundo político e avaliasse alguns governos. Num dado momento, os seus entrevistadores perguntaram qual a nota que ele daria ao Governo da Presidente Dilma Rousseff. O vídeo, publicado no Blog de Jamildo, é pouco audível, mas, como perceberam que a nota estava muito baixa - consequentemente reprovando o governo da presidente Dilma - seus entrevistadores insistiram - e ele acabou afirmando que a nota ficaria próximo a zero. 

Quando questionado sobre o seu Governo, Paulo Câmara resolveu sair pela tangente, informando que o governo precisa melhorar, não declinando a nota. Praticamente, também não emitiu notas sobre as personalidades do mundo político pernambucano, o que se entende, em razão das reviravoltas da política, onde o inimigo de hoje pode ser o amigo de amanhã. A nota atribuída ao Governo Dilma, em última análise, lida num determinado contexto político, pode significar que, de fato, o PSB deve mesmo seguir os tucanos daqui para frente, numa urdidura com o propósito de apear o PT do poder. Há um deputado federal peemedebista pernambucano que se derrama em elogios ao governador. É um ferrenho opositor do PT. 

Paulo, eu não vou te dar uma nota, mas creio que não podemos falar de um governo bem-sucedido aqui na província. Todos estamos enfrentando uma grave crise na economia e um quadro bastante nebuloso na política. Isso vale para todos os entes federados. Aqui mesmo no Estado, segundo informações, mais de 80% dos municípios estão encrencados com a Lei de Responsabilidade Fiscal. Já disse outro dia que, se o TCE decretar intervenção nesses municípios, mantida a tendência de nomear coronéis, os quadros da PM serão sensivelmente desfalcados. 

É preciso muita responsabilidade pública nesta hora, Paulo. Ainda ontem, causou consternação a reunião de mães com filhos que nasceram com a microcefalia. Uma cena chocante. Acompanhando uma de nossas postagens nas redes sociais, um internauta assinalou - é preciso checar essa informação - que o Estado já estaria liderando os casos de morte pela chikungunya. Perdemos duas personalidades do campo cultural, segundo se especula, por complicações da doença: o artesão Manuel Eudócio e o Luiz do Buraco da Gia. Vamos agendar sua avaliação para os próximos dias. De antemão, já recomendaria a Vossa Excelência a leitura da carta de despedida da legenda socialista, escrita pela vereadora Marília Arraes. Vai cair na prova. 

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Mexeu com Malafaia mexeu comigo - Pr Adélio

Classe Média - Max Gonzaga

Por que se teme ao comunismo?

A Comuna de Paris mostrou a Marx que não basta tomar o estado, há que destruí-lo rompendo a máquina burocrática e militar

Por Elaine Tavares, em seu blog

Observando o avanço desenfreado das pautas da direita em todo o planeta, com a também crescente fascistização da vida, via as epidêmicas redes sociais, me assalta uma certeza: o comunismo, mais do que uma necessidade política, é uma necessidade biológica. E, diante da realidade, essa forma de organizar a vida aparece-me como a única alternativa possível para os seres humanos. Alguém pode dizer que sou uma louca, quando tudo parece apontar para um retorno inexorável dos tempos mais sombrios, mas, posso mostrar que não. 

Imaginem-se na baixa idade média, quando a violência contra os pobres recrudesceu, uma vez que os senhores feudais viram que as mudanças causadas pelo nascimento dos burgos eram profundas. Naquelas horas noas, de angústia e violência, quem arriscaria dizer que estava em processo de consolidação uma nova forma de viver que daria fim ao feudalismo? Os loucos? Não! Os que faziam boas análises da realidade.

O mundo atual, capitalista, imperialista e monopólico tem como base uma equação simples: para que um viva, outro tem de morrer. Isso significa que é, por natureza, destruidor e violento. Se no mundo antigo, a escravidão era garantida pela força de uns poucos e no mundo feudal a servidão se mantinha pelo terror dos senhores da terra, no capitalismo os escravos modernos – assalariados – são mantidos também pela força da repressão policial e burocrática. E é comum, a história nos mostra, quando um sistema está ruindo, a repressão a violência contra os de baixo aumentar consideravelmente. É a tentativa desesperada da classe dominante para manter o poder.

E o que vemos hoje no mundo? Uma violência exacerbada contra tudo aquilo que possa representar uma ameaça ao sistema capitalista de reprodução da vida. Qualquer gritinho de protesto já é considerado terrorismo e a força do braço armado do poder cai sobre as gentes com precisão. É um tempo de extermínio. Até no Brasil, onde o tal do “terrorismo” raramente deu as caras, os deputados aprovaram no dia 24 de fevereiro uma lei anti-terrorismo. E com base no quê? Numa suposta possibilidade de aparecer algum “deles” nas Olimpíadas. Piada? Não! Medo.

A classe dominante mundial está com medo. E isso é bom. Se, por um lado, esse medo recrudesce a violência oficial, por outro, mostra que há um pequeno buraco na represa, como no antigo conto holandês. E o sistema tenta conter a avalanche, matando, desaparecendo, trucidando, fazendo guerra.

Diante desse quadro, só nos resta o comunismo. E uma das coisas que mais me impressiona é ver alguém chamando outro alguém de comunista como se fosse uma coisa ruim. Ou ainda, falar do comunismo como se fosse o pior que pudesse acontecer na terra. Como isso poder ser possível? Quem em sã consciência pode achar que o comunismo é ruim? Pois para responder essa questão, proponho o debate de alguns elementos que compõem o comunismo, para que, sem preconceito, possamos definir o que de bem e bom pode ter num regime como esse.

A ideia de um mundo justo, no qual todos possam ter vida digna não é coisa do alemão Karl Marx, tão demonizado. Ela aparece bem antes dele em escritos de tantos filósofos, inclusive no mundo oriental. Mas, claro, é Marx quem aponta o comunismo como um sistema de organização da vida que só pode acontecer depois que sejam desvendados e superados os terrores do mundo capitalista, que ele tão bem visualizou. A partir do estudo sobre como se expressam e se concretizam no mundo real as relações de produção do sistema capitalista, Marx concluiu que não podia ser possível ao humano viver nessas condições. Ele não descobre a luta de classe, ele a põe em foco.

Assim, segundo ele, uma vez que os trabalhadores desvelassem o véu da alienação que os mantêm presos a um sistema que oprime e mata, a única possibilidade seria a construção de uma forma autônoma e livre de viver, na qual sequer o estado seria necessário. Isso é o comunismo.

Nessa forma de organizar a vida não haverá uma classe dominando a outra. Todos serão livres e administrarão a produção das coisas para o bem-viver. Cada um trabalhará conforme sua condição e receberá conforme sua necessidade. Não haverá divisão entre trabalho braçal e intelectual e todo o trabalho será considerado digno. Se a pessoa for trabalhar como lixeiro e tiver oito filhos para sustentar, ele receberá o suficiente para isso. Ninguém precisará mendigar, migrar, fugir, se prostituir, se destruir. O estado não será necessário, porque ele existe apenas como expressão de dominação de uma classe sobre a outra. Se não houver classes, para que estado? “Poderíamos empregar em vez de estado, a palavra comunidade”, diz Engels. 

Aí se pode dizer: isso é uma bobagem. Tem que ter organização, tem que ter direção, tem que ter ordem. Mas, quem diz que não haverá? Haverá tudo isso, mas sem que alguém oprima o outro. Se cada um receber conforme a necessidade não será necessária a hierarquia entre os trabalhadores. O que hoje está numa posição de organizador da produção e do trabalho, amanhã pode não estar. E se está, vai receber o que precisa para viver. Nem mais, nem menos. O cargo que ocupa não lhe dará poderes sobre o outro. Não haverá patrão, uma vez que os bens produzidos serão coletivos, assim como a terra. E se tudo for assim, tão bom, haverá festa e haverá beleza, essas coisas doces, necessárias ao espírito. Essa é a ideia do comunismo evocada por Marx, que, é óbvio, irá se construindo e aprimorando pela ação das gentes.

Alguém dirá: isso é um sonho. O ser humano não consegue ter maturidade suficiente para viver assim, livre, sem patrão. Ora, no tempo da escravidão, dizia-se que os escravos morreriam sem o dono. No tempo da servidão, dizia-se que os servos não existiriam sem os senhores feudais. E, se foram os donos de gente, e, se foram os senhores feudais. Que passou com a humanidade? Avançou. Por que raios, então, a humanidade não iria dar esse salto de qualidade? Todas as retrospectivas histórias mostram que sim.

Agora, é fato que o comunismo não se fará em um passe de mágica, muito menos por decreto. Marx, Engels e Lenin escreveram muito sobre isso. Será necessário um tempo de transição, que é o socialismo. Esse tempo de transição preparará o caminho para o comunismo, a hora em que tudo será comum, comu-nitário. No socialismo ainda existem as classes, mas aí quem domina é a classe trabalhadora. E também será necessária a força, a burocracia, o estado. 

Por isso não faz sentido a gritaria dos capitalistas contra propostas como as de Cuba, por exemplo. É um governo forte, um estado forte, no qual quem domina são os trabalhadores. Na luta de classes cubana, pela revolução, venceram os trabalhadores. Eles comandam agora, e não a burguesia. Ah, mas eles são truculentos, violentos, tem presos políticos. Sim, são violentos, como eram violentas as forças que submetiam os trabalhadores antes. Quem não se lembra da ditadura de Batista? Ah, mas então é o dente por dente? Não. É porque ainda não é o comunismo, não há ainda a maturidade necessária para esse modo de organizar. Precisa ter Estado, precisa ter a organização hierárquica. E se o estado é o instrumento de dominação de uma classe sobre a outra, essa dominação é a dos trabalhadores sobre a burguesia. Até que todos estejam prontos para o salto, a nova ordem, o novo mundo, o mundo necessário. O socialismo é um período em que vão se depurar os projetos.

Assim que o comunismo, volto a dizer, é uma necessidade biológica. Porque nós, os humanos, temos esse desejo pelo que é bom, pela festa, pela beleza. Esse é o nosso propósito. Não é possível que a gente aceite, como raça, viver como estamos vivendo agora: oprimidos, violentados, massacrados, consumindo o planeta. Como os escravos e os servos nós também avançaremos para um tempo melhor. É infalível. 

Por isso vamos caminhando, pavimentando essa estrada de maravilhas. Talvez nós mesmos não venhamos a viver nesse mundo sonhado. Mas, não importa. Para ele estamos indo, inexoravelmente, e ele já existe dentro de todos os que o acreditamos possível. Como o casulo se transforma em borboleta. Assim será!

Acuada, Globo ameaça blogues progressistas

censura


Incomodada com as reportagens investigativas publicadas recentemente, Globo passou a censurar e fazer ameaças de processo contra os responsáveis pelas denúncias
Acuada com as reportagens investigativas publicadas recentemente por blogues progressistas, a Rede Globo passou a fazer ameaças de processo contra os responsáveis pelas denúncias. O jornalista Miguel do Rosário, do blogue “O Cafezinho”, foi um dos que receberam notificação da família Marinho.
No comunicado enviado por e-mail, foi exigido que ele retirasse do ar o post intitulado “Bomba! O mapa genealógico da Mossack Fonseca e Rede Globo”, sob pena de sofrer “medidas legais cabíveis”, por supostamente divulgar dados inverídicos a respeito da relação do grupo com empresas investigadas pela Polícia Federal.
O portal Diário do Centro do Mundo também foi notificado pela advogada da Globo, Mariana Gaspar, por causa da matéria “Exclusivo: Nosso repórter foi ao verdadeiro tríplex: o dos Marinhos”, que ela alegou ser falsa.
O jornalista Fernando Rodrigues, do UOL, reconheceu na quarta-feira (24) que a iniciativa de notificar extrajudicialmente sites e blogues é mesmo uma estratégia da Rede Globo. “A ideia é processar os que não responderem de acordo com o que a emissora considera a versão correta dos fatos”, informou.
A companhia está em evidência desde as acusações feitas por Mirian Dutra, amante do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso entre os anos 1980 e 1990. Ela afirmou, em entrevista, que a Globo teria facilitado seu “exílio” na Europa para não atrapalhar a imagem do político e, em troca, recebeu financiamentos do BNDES a juros bem mais baixos do que o padrão.