LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Janaina Paschoal não é louca: é fascista



Por Nathali Macedo, via DCM
O discurso de Janaina Paschoal – a advogada do golpe – também me inquietou. Não apenas pelos trejeitos exagerados, mas pelo conteúdo fascista típico da direita brasileira.
Mas também é preocupante a reação de alguns esquerdistas que tenho acompanhado nas redes sociais. Acusam-na de louca, desequilibrada, drogada, possuída.
Acusar uma mulher de louca porque ela está exaltada é machista, é desonesto e é incoerente, não importa a quem esta acusação seja dirigida: se a mim, à Presidenta ou a uma advogada golpista. Essa ofensa provém do mesmo machismo e dos mesmos conceitos pequenos.
Janaina Paschoal não está ou esteve possuída – aliás, a pomba gira é uma entidade da umbanda que merece o devido respeito. Também não está louca – se fosse um homem que estivesse em seu lugar, alguém o chamaria de histérico ou desequilibrado?
Ela é fascista. Ponto.
Ela convenceu-se de que a falta de eloquência de seu discurso vazio poderia ser sanada por gestos exagerados – exatamente como juristas incompetentes costumam fazer quando seus argumentos jurídicos inexistem.
Na falta de argumentos coerentes, apela-se para o bom e velho teatro do absurdo. E isso não é loucura, não é possessão, não é desequilíbrio: é apenas patético, e o seria de qualquer maneira, independente de gênero.
Nós não precisamos lançar mão de insultos machistas – como fez a IstoÉ – para desconstruir os argumentos de Janaina Paschoal. Assim como todos os argumentos pró-golpe, eles já nasceram mortos. Não precisamos descer tão baixo porque nós sabemos que a democracia está ao nosso lado – não importa quantas vezes rodopie uma fascista em busca de atenção.
Postar um comentário