LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

terça-feira, 17 de maio de 2016

ENTENDA A GUERRA ÀS DROGAS EM 5 MINUTOS


Via Ano Zero

Há 7 anos, a The Economist, revista britânica liberal, declaradamente de direita, decretou: a política de Guerra às Drogas fracassou, e precisa acabar, dando lugar a duas políticas distintas – a de legalização para drogas leves e de controle de danos para drogas pesadas.
A lógica é tão simples quanto terrível, e com o devido distanciamento já a observamos funcionando durante a Lei Seca dos Estados Unidos na década de 1920:
1 – pegue um produto ou hábito que, por algum motivo (isso não entra no mérito aqui), seja considerado fundamental por parte da comunidade e torne-o ilegal;
2 – o resultado é que o produto ou o hábito não será extinto, mas sim passará para a clandestinidade;
3 – em seguida haverá repressão do Estado, que não conseguirá adentrar todos os meandros do labirinto das relações sociais para capturar e punir toda desobediência à lei, mas garantirá a aprovação legislativa de vultosos gastos do orçamento público com o aparelhamento estatal;
4 – como resposta à repressão estatal, grupos criminosos providenciarão aos interessados acesso ao produto ou hábito, com um preço inflacionado para compensar riscos e financiar a compra de armamento e o recrutamento de soldados do crime;
5 – como decorrência do embate entre o Estado e criminosos, muito sangue será derramado, mas muito dinheiro verterá para financiar outras atividades do crime organizado, fortalecendo a criminalidade; e
6 – o grande volume de dinheiro decorrente de todas essas atividades ilícitas precisará ser lavado, inundando o sistema financeiro internacional com bilhões de dólares, vertendo parte desse dinheiro para corromper agentes públicos em todos os níveis.
A única solução é desarmar essa armadilha, legalizando drogas leves (1) como a maconha e tratando drogas pesadas como problema de saúde pública, e de repressão policial. (2) Mas para isso é preciso vencer um grande inimigo: os juízos de valor baseados em preconceitos e não em fatos científicos, o obscurantismo que se sobrepõe ao esclarecimento. (3)

Este vídeo explica toda essa lógica do desastre:


Leiam também:


+++++

Muito bom o artigo, apenas algumas breves observações:

(1) Legalizar não apenas as drogas leves, mas, TODAS as drogas, caso contrário, o serviço vai ficar pela metade.

(2) Não apostar na repressão policial como algo positivo, e a mesma só acabará quando TODAS as drogas forem legalizadas. 

(3) Também devemos levar em consideração outros aspectos, como p. ex., i. o interesse dos fabricantes de armas, que formam um poderoso lobby contrário a qualquer legalização; ii. o interesse dos EUA em se imiscuir nos assuntos internos de outros países em nome dessa "guerra" e iii. o interesse de governos não populares em, utilizando o pretexto de guerra às drogas, reprimir a população para poder "governar".