LULA PRESO POLÍTICO

LULA PRESO POLÍTICO

quarta-feira, 19 de julho de 2017

A negligência do governo golpista com a Aids


Via DCM

Por Jean Wyllys

Em diversos Estados brasileiros multiplicam-se relatos de pessoas que convivem com HIV/Aids e que não conseguem encontrar seus medicamentos nos postos do Sistema Único de Saúde. Quem depende dessa distribuição gratuita, ao chegar nos postos de saúde tem recebido a informação de que os estoques estão em falta e que alguns postos já estão até sem acesso ao tratamento. Segundo a Agência Aids e outros portais de notícias, nos últimos trinta dias há falta de medicamentos em cidades do Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Bahia e Amazonas.

É vergonhoso que os gestores públicos tenham permitido que o nosso país, que já foi referência mundial para prevenção e o tratamento do HIV/Aids, tenha chegado a essa situação de calamidade na saúde pública. Como se já não bastasse o estresse cotidiano de lidar com o estigma que vitima soropositivos, que enfrentam preconceitos que jamais foram combatidos pelas campanhas de conscientização e prevenção do atual governo, essa população ainda está sendo submetida a uma via crucis para conseguir os remédios que, por determinação da lei, é um direito que deve ser garantido pelo poder público.
Como membro da Comissão de Seguridade Social e Família e integrante da Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento às DST/HIV/Aids, utilizarei das minhas prerrogativas parlamentares para questionar o Ministério da Saúde sobre as razões da ausência de medicamentes em várias regiões do país. Também me somo às vozes que protestam contra esse descaso, que pode agravar o aumento no número de novas transmissões, especialmente entre os jovens e os mais pobres, já que muitos pacientes acabam abandonando ou suspendendo o tratamento. Os riscos à saúde pela ausência ou interrupção do tratamento podem ser fatais.

Devemos cobrar responsabilidade não só do governo como de todos os que, por alguma razão, ignoraram também essa questão ao apoiar o golpe que conduziu uma camarilha de corruptos ao poder, com um discurso falso-moralista e hipócrita! É inacreditável que estejamos testemunhando um retrocesso tão grave em uma área tão sensível como essa!